Rede de Inovação Tecnológica para Defesa Agropecuária

Estatuto da Sociedade Brasileira de Defesa Agropecuária (SBDA) - MINUTA

Clique para baixar a minuta em PDF

CAPÍTULO I Denominação, Missão e Objetivos Art. 1º - A Sociedade Brasileira de Defesa Agropecuária (SBDA), fundada em 16 de agosto de 2010, constitui-se numa associação civil e de direito privado sem fins lucrativos, de finalidade técnico-científica e de utilidade pública, com natureza jurídica própria, regida pelo presente Estatuto e pela legislação em vigor. Parágrafo 1º - A Sociedade Brasileira de Defesa Agropecuária funcionará por prazo indeterminado. Parágrafo 2º - No texto do presente Estatuto, além da sigla SBDA, as expressões Sociedade e Associação serão também utilizadas para designar ou substituir o nome Sociedade Brasileira de Defesa Agropecuária. Art. 2º - A SBDA tem como missão promover a integração das entidades e das pessoas executoras da Defesa Agropecuária, colaborar e zelar para o aperfeiçoamento do Sistema Brasileiro de Defesa Agropecuária. Art. 3º - São finalidades da Sociedade Brasileira de Defesa Agropecuária: I - Congregar representantes dos órgãos oficiais de Defesa Agropecuária, do setor privado, das instituições de ciência e tecnologia (ICT) e instituições de ensino superior (IES) e também pessoas físicas e pessoas jurídicas que atuem na execução de atividades e nas políticas relacionadas à Defesa Agropecuária no Brasil; II - Promover pesquisa e inovação, visando ao avanço científico, tecnológico, econômico e social pela melhoria das práticas na Defesa Agropecuária; III - Estimular e induzir a criação de cursos e a melhoria do ensino das disciplinas relacionadas à Defesa Agropecuária, em todos os níveis; IV - Buscar a atualização da comunidade técnico-científica com as normas e procedimentos vinculados à Defesa Agropecuária; V – Buscar a uniformização das atividades de defesa laboratoriais, dos métodos de análise e seus controles de qualidade; VI - Incentivar e promover o intercâmbio entre os profissionais da área da Defesa Agropecuária do Brasil e do exterior; VII - Promover periodicamente a Conferência Nacional sobre a Defesa Agropecuária (CNDA), além de simpósios, oficinas, cursos, reciclagens, seminários e similares; VIII - Publicar uma revista periódica com artigos técnico-científicos relacionados à Defesa Agropecuária; IX - Manter a Rede de Inovação Tecnológica para Defesa Agropecuária (www.inovadefesa.ning.com) e o Diretório de Expertise em Defesa Agropecuária (www.inovadefesa.com.br); X - Estimular, promover e apoiar a divulgação de conhecimentos, métodos científicos, tecnologias, serviços e produtos de interesse para a Defesa Agropecuária como: livros, teses, dissertações, monografias, boletins, CD-ROM, etc; XI - Mediar negociações para inclusão de debates permanentes sobre políticas públicas relacionadas à Defesa Agropecuária; XII - Nomear, mediante demanda, comissões especializadas para discutir aspectos relacionados à ética profissional, às soluções dos novos problemas e à coerência da legislação vigente; XIII - Estimular a criação de núcleos estaduais referendados pelo Conselho Diretor, para representar a SBDA e para discutir problemas Regionais; CAPÍTULO II Dos Sócios Art. 4º - A SBDA é constituída por sócios das seguintes categorias: I - Sócio Fundador: pessoas físicas que assinaram a ata de fundação da Sociedade Brasileira de Defesa Agropecuária – SBDA; II - Sócio Efetivo: pessoas físicas ligadas à Defesa Agropecuária que tenham preenchido o cadastro como sócio e estejam em dia com seus deveres estabelecidos neste estatuto; III - Sócio Honorário: pessoas físicas reconhecidas pela SBDA em função da relevância dos serviços prestados para o desenvolvimento da Defesa Agropecuária no Brasil; IV - Sócio Mantenedor: pessoas físicas ou jurídicas (públicas ou privadas) que contribuam financeiramente para melhor atendimento ao disposto no artigo 3°. Art. 5º - A admissão de associados poderá ser efetuada a qualquer tempo, por meio do preenchimento e envio do formulário de inscrição à Secretaria Executiva da Sociedade. CAPÍTULO III Deveres e Direitos dos Sócios. Art. 6º - São deveres dos sócios efetivos e pessoas físicas que constarem como sócios fundadores: I - Estar em dia com as contribuições anuais estabelecidas pelo Conselho Diretor; II - Exercer as funções para as quais forem incumbidos por designação ou eleição; III - Manter seu cadastro atualizado; IV - Exercer todos os seus direitos e deveres de associado com ética. Parágrafo único - O não cumprimento dos deveres estabelecidos no Artigo 6º acarretará o afastamento do sócio até que todas as suas obrigações do corrente ano sejam regularizadas. Art. 7º - São direitos dos sócios efetivos e sócios fundadores: I - Votar e ser votado em eleições e assembleias gerais; II - Participar de conferências, reuniões e outros eventos promovidos pela Sociedade; III - Participar de Assembleia Geral conforme constante no Capítulo IX; IV - Solicitar seu desligamento a qualquer tempo junto à Secretaria Executiva da SBDA. Art. 8º - Os Sócios das demais categorias e as instituições que constarem como sócias fundadoras terão os direitos previstos nos incisos (II) e (III) do artigo 7°. Parágrafo único - Os Sócios Honorários serão isentos de pagamento das anuidades e de todas as taxas cobradas pela SBDA, desde que mantenham seu cadastro atualizado. CAPÍTULO IV Da administração Art. 9º - A Sociedade Brasileira de Defesa Agropecuária será administrada por um Conselho Diretor, assessorado por um Conselho Consultivo e por um Conselho Fiscal. Parágrafo 1 º - Todos os cargos da SBDA serão exercidos por sócios da entidade, previstos no artigo 4º, desde que se enquadrem na categoria de pessoas físicas. Parágrafo 2 º - Os cargos da administração e conselhos da SBDA serão exercidos sem qualquer remuneração. CAPÍTULO V Do Conselho Diretor Art. 10º - O Conselho Diretor será formado por uma Diretoria Executiva e por Delegados indicados pelo Conselho Consultivo. A Diretoria Executiva será constituída de um Presidente, um Vice-presidente, um Secretário Geral, um Secretário Adjunto, um Tesoureiro, um Editor da Revista da Sociedade e um Gestor das Redes Sociais. Parágrafo 1º - O Presidente, o Vice-presidente, o Secretário Geral e o Tesoureiro serão eleitos, para um mandato aproximado de dois anos e na forma de uma chapa, pela Assembleia Geral Ordinária da SBDA. Poderão candidatar-se aos cargos todos os sócios em dia com suas obrigações. A Diretoria Executiva da SBDA poderá ser reconduzida por uma única vez consecutiva. Parágrafo 2º - Os Delegados serão indicados diretamente pelo Conselho Consultivo e referendados em Assembleia Geral para um mandato aproximado de dois anos. A nomeação dos Delegados deverá respeitar a proporção e a representação de dois membros, sendo um com formação na área animal e outro na área vegetal, para cada um dos seguintes segmentos: I - Servidores do órgão federal de Defesa Agropecuária; II - Servidores dos órgãos estaduais da Defesa Agropecuária; III - Representantes da Confederação Nacional da Agricultura – CNA; IV - Setor de ensino superior; V - Setor de pesquisa. Parágrafo 3º - A Secretaria Executiva será formada por um Secretário Geral, um Secretário Adjunto e pelo Tesoureiro. Parágrafo 4º - O Secretário-adjunto, o Editor da Revista e o Gestor das Redes Sociais mantidas pela SBDA, serão, individualmente, indicados pelo Presidente e referendados pelos demais membros do Conselho Diretor para um mandato aproximado de dois anos. Parágrafo 5º - O Secretário Geral, o Secretário Adjunto, o Tesoureiro, o Editor da Revista e o Gestor das Redes Sociais, mantidas pela SBDA, assumirão suas obrigações e encargos, imediatamente após a eleição da Diretoria Executiva, diante da Assembleia Geral Ordinária da SBDA. Art. 11º - As competências dos membros da Diretoria, Secretaria e Conselhos são: Parágrafo 1º- O Presidente é o representante legal da Sociedade e somente ele ou pessoa por ele designada através de procuração, poderá manifestar-se, em nome da entidade. O Presidente é ainda responsável pelas seguintes funções: I - Administrar a SBDA, implementando as medidas necessárias ao seu funcionamento, como representar em juízo ou fora dele, podendo delegar poderes e indicar procuradores, na forma da lei, assinar títulos e expedientes e, com o Tesoureiro, assinar cheques, documentos contábeis, financeiros, balanços e os balancetes da entidade; II - Presidir as reuniões da Diretoria Executiva, convocar e presidir a Assembleia Geral, bem como convocar o Conselho Fiscal; III - Obter subvenções, auxílios e quaisquer outros valores por parte de entidades oficiais e privadas, prestando contas da aplicação dos recursos obtidos; IV - Apresentar ao Conselho Fiscal o relatório financeiro bienal para avaliação antes da realização da Assembleia Geral; V - Celebrar convênios, ajustes, contratos e outros documentos, com entidades de direito público e/ou privado, nacionais e/ou internacionais; VI – Emitir Ordens de Serviços, Circulares, admitir e demitir servidores; VII - delegar, de maneira expressa e quando julgar necessário, suas atribuições legais, estatutárias ou regimentais. Parágrafo 2º- O Vice-presidente tem por função auxiliar o Presidente e substituí-lo em seus impedimentos ou na vacância do cargo Parágrafo 3º - O Secretário Geral é o coordenador da Secretaria Executiva e o representante da SBDA para as atividades da Secretaria. Suas atribuições são: I - Secretariar as reuniões do SBDA e lavrar as respectivas atas; II - Manter atualizada a correspondência da entidade; III - Suprir, em caráter eventual, a assinatura do Presidente ou do Tesoureiro, mas nunca a de ambos simultaneamente, nos cheques emitidos pela SBDA. Parágrafo 4º - O Secretário Adjunto é o responsável pela administração interna da Secretaria, bem como da documentação da SBDA, substituindo o Secretário Geral nos seus impedimentos e/ou executando as tarefas por ele delegadas. Parágrafo 5º - O Tesoureiro da SBDA é o responsável pelas atividades financeiras da Sociedade, incluindo recebimentos, pagamentos, movimentação de contas bancárias e elaboração de balancetes e prestação de contas. Art. 12º - Compete ao Conselho Diretor da SBDA: I - Regulamentar as deliberações das Assembleias Gerais da SBDA; II - Ratificar Coordenadorias de Comissões Especializadas; III - Deliberar sobre as publicações da Sociedade; IV - Avaliar e aprovar o relatório de trabalhos da Secretaria Executiva, que será apresentado na Assembleia Geral Ordinária da SBDA; V - Aprovar a realização de eventos. Parágrafo 1º - O Conselho Diretor reunir-se-á pelo menos uma vez ao ano e, obrigatoriamente, por ocasião da Conferência Nacional sobre Defesa Agropecuária. Parágrafo 2º - O Conselho Diretor deliberará com a participação da maioria absoluta de seus membros. Na falta de quorum, a deliberação dar-se-á mediante a consulta eletrônica aos ausentes. As deliberações serão aprovadas pela maioria simples dos participantes da reunião, desde que tenha pelo menos 2/3 (dois terços) de seus membros. CAPÍTULO VI Do Conselho Consultivo Art. 13º - O Conselho Consultivo deverá ser formado por dirigentes de instituições com atividades relevantes no Sistema Brasileiro de Defesa Agropecuária ou por seus representantes indicados oficialmente: I - .............................................................; II - ............................................................; III - ............................................................; IV - ...........................................................; V - ............................................................; VI - ...........................................................; Parágrafo 1º - Caberá ao Conselho Consultivo: I - Indicar dois delegados por instituição representada no Conselho Consultivo para participar do Conselho Diretor, conforme descrito no Art. 10º; II - Rever e sugerir ajustes à programação técnica da CNDA; III - Participar do planejamento de ações da Diretoria Executiva e acompanhar sua execução. CAPÍTULO VII Do Conselho Fiscal Art. 14º - O Conselho Fiscal é o órgão fiscalizador das atividades contábeis e financeiras formado por três associados efetivos e dois suplentes, todos eleitos pela Assembleia Geral, além de um representante de cada Sócio Mantenedor. Parágrafo 1º - Os Sócios Mantenedores poderão participar das reuniões do Conselho Fiscal como observadores. Parágrafo 2º - Os associados do Conselho Fiscal não poderão ter parentesco, em primeiro ou segundo grau, com os integrantes da Diretoria Executiva. Parágrafo 3º - O Conselho Fiscal reunir-se-á quando julgar necessário, quando solicitado pela Diretoria Executiva ou por convocação de no mínimo 1/5 (um quinto) dos associados da SBDA que estejam em dia com suas obrigações junto à agremiação. Parágrafo 4º - As deliberações do Conselho Fiscal serão tomadas pela maioria simples de seus membros presentes. Parágrafo 5º - O Conselheiro efetivo que deixar de comparecer a duas reuniões consecutivas sem justificativa perderá o mandato. Art. 15º - Compete ao Conselho Fiscal: I - Examinar e dar parecer sobre os balanços e balancetes da SBDA; II - Examinar e dar parecer sobre a escrituração social e a documentação financeira da SBDA. CAPÍTULO VIII Da Sede da SBDA Art. 16º - A Sociedade tem sede provisória no endereço ________________________________ na cidade de ______________________ no Estado de __________________________ A localidade da sede será referendada a cada dois anos pelo Conselho Diretor. CAPÍTULO IX Das Assembleias Art. 17º - A Assembleia Geral da SBDA será realizada, ordinariamente, uma vez, dentro do período de duração de cada Conferência Nacional sobre Defesa Agropecuária, ou, extraordinariamente, durante outros eventos promovidos pela SBDA. Art. 18º - Caberá à Assembleia Geral apreciar: I - As decisões do Conselho Diretor da SBDA; II - As atividades políticas, científicas e de divulgação da Sociedade; III - A definição dos locais das próximas Conferências promovidas pela SBDA; IV - O eventual pedido de dissolução da SBDA; V - Propor e votar alterações no estatuto que tenham sido encaminhadas ao Conselho Diretor pelo menos 30 dias antes do evento, quando ordinário, e 15, se extraordinário. Parágrafo único - As resoluções das Assembleias Gerais serão aprovadas pelo voto da maioria simples dos sócios presentes. Art. 19 º - Compete privativamente à assembleia geral: I - Destituir os administradores; II - Alterar o estatuto. Parágrafo único. As deliberações dos assuntos tratados nos incisos I e II deste artigo requerem, necessariamente, que sejam em assembleia especialmente convocada para esse fim, cujo quorum será o estabelecido no estatuto, bem como os critérios de eleição dos administradores. CAPÍTULO X Da Conferência Nacional sobre Defesa Agropecuária e de outras Reuniões Técnicas Art. 20º - Em todo ano par, a Sociedade promoverá, uma vez, a Conferência Nacional sobre Defesa Agropecuária, em local a ser definido pela Assembleia Geral da SBDA. Art. 21º - A Assembleia Geral da SBDA, ao aprovar o local da próxima Conferência, ratificará os Delegados indicados pelo Conselho Consultivo. Parágrafo 1º- Em cada Conferência a Assembleia deverá definir o local e referendar os sócios que comporão a comissão organizadora da próxima Conferência. Parágrafo 2º - Não havendo proposição ou aprovação do local da próxima Conferência pela Assembleia, o Conselho Diretor ficará autorizado a promover gestões para fixar o local e a data da realização da Conferência seguinte. Art. 22º - Será cobrada dos participantes de cada Conferência uma taxa de inscrição, fixada em comum acordo entre a Comissão Organizadora do evento e a Secretaria Executiva da SBDA. Parágrafo único – Todas as categorias de sócios da SBDA terão um desconto na taxa instituída por este artigo. CAPÍTULO XI Do Patrimônio e das Finanças da Sociedade Art. 23º - O patrimônio da Sociedade será constituído: I - Pelos bens adquiridos ou recebidos em doação; II - Pelos donativos e subvenções não destinados a fins específicos; III - Pelos recursos provenientes das anuidades e contribuições dos sócios; IV - Pela comercialização de publicações; V - Pelos saldos dos eventos promovidos pela SBDA. Art. 24º - O Tesoureiro apresentará, anualmente, até trinta dias após o encerramento do ano fiscal, o relatório e o balanço das receitas e despesas, para exame e aprovação do Conselho Diretor. CAPÍTULO XII Disposições Gerais Art. 25º - São vedados, dentro da Sociedade, discursos e propaganda de natureza político-partidária e de outros assuntos estranhos aos fins da Sociedade. Art. 26º - A modificação do presente Estatuto, ou dissolução da Sociedade, só poderá ser encaminhada à Secretaria Executiva quando proposta por, no mínimo, um décimo dos sócios efetivos e aprovada por 2/3 (dois terços) de seus membros efetivos. Art. 27º - Em caso de dissolução da Sociedade, pela sua inviabilidade técnica ou econômica, o patrimônio da SBDA será destinado a uma instituição sucessora de utilidade pública com os objetivos similares aos da SBDA. Art. 28º - Serão excluídos da Sociedade: I - Os sócios que forem condenados por crimes, ficando excluídos os casos de transação penal; II - Os condenados por atentado contra a integridade da Pátria. Parágrafo único - Os sócios excluidos poderão ser readmitidos por deliberação do Conselho Diretor, após terem sido publicamente reabilitados. Art. 29º - Os sócios da SBDA não são, individualmente ou solidariamente, responsáveis por dívidas da mesma. Art. 30º - Os casos omissos neste Estatuto serão resolvidos pelo Conselho Diretor. CAPÍTULO XIII Disposições transitórias Art. 31º - Até a realização da primeira Assembleia Geral, o Conselho Diretor, o Conselho Consultivo e o Conselho Fiscal funcionarão, exclusivamente, compostos por Sócios Fundadores. Parágrafo único - O número de Sócios Fundadores determinará os cargos a serem ocupados, entretanto, é imprescindível que os cargos de Presidente, Vice-presidente, Secretário Geral e Tesoureiro sejam preenchidos desde a fundação. Art. 32º - Para implementar as modificações estruturais e administrativas da SBDA, o mandato da primeira Diretoria Executiva será prorrogado por um ano ou até a realização da IV CNDA. Brasília, 16 de agosto de 2010. ------------------------------------------ Presidente ____________________________ Secretário Geral

Comentar

Você precisa ser um membro de Rede de Inovação Tecnológica para Defesa Agropecuária para adicionar comentários!

Entrar em Rede de Inovação Tecnológica para Defesa Agropecuária

Comentário de MARCIO MELEIRO em 22 julho 2013 às 10:29

Como faço para me associar a SBDA, para onde mando o formulário

Att.

 

Comentário de Zelia Marilia Barbosa Lima em 22 setembro 2010 às 11:45
"Do Conselho Consultivo
Art. 13º - O Conselho Consultivo deverá ser formado por dirigentes de instituições com atividades relevantes no Sistema Brasileiro de Defesa Agropecuária ou por seus representantes indicados oficialmente:"
O atributo, dirigentes de instituições com atividades relevantes, é impreciso. Como e quando serão estabelecidos os critérios que avaliarão o quanto as atividades de uma ou de outra instituição são relevantes para o sistema brasileiro de defesa agropecuária?????
Comentário de Zelia Marilia Barbosa Lima em 22 setembro 2010 às 11:39

"Do Conselho Diretor


Art. 10º - O Conselho Diretor será formado por uma Diretoria Executiva e por Delegados indicados pelo Conselho Consultivo. A Diretoria Executiva será constituída de um Presidente, um Vice-presidente, um Secretário
Geral, um Secretário Adjunto, um Tesoureiro, um Editor da Revista da Sociedade
e um Gestor das Redes Sociais."


Tenho dúvidas sobre a eficiência de um modelo que prevê cargos para Editor (da Revista da Sociedade) e Gestor (das Redes Sociais) na Diretoria Executiva.


Não está claro como estes profissionais, editor e gestor, surgirão no âmbito da Diretoria Executiva.



"Parágrafo 1º - O Presidente, o Vice-presidente, o Secretário Geral e o Tesoureiro serão eleitos, para um mandato aproximado de dois anos e na forma de uma chapa, pela Assembleia Geral Ordinária da SBDA. Poderão
candidatar-se aos cargos todos os sócios em dia com suas obrigações. A
Diretoria Executiva da SBDA poderá ser reconduzida por uma única vez
consecutiva."




"Parágrafo 2º - Os Delegados serão indicados diretamente pelo Conselho Consultivo e referendados em Assembleia Geral para um mandato aproximado de dois anos. A nomeação dos Delegados deverá respeitar a proporção
e a representação de dois membros, sendo um com formação na área animal e outro
na área vegetal, para cada um dos seguintes segmentos:"

A única ocorrência encontrada para o uso da expressão “mandato aproximado” foi no ESTATUTO DA FEDERAÇÃO DOS ESTUDANTES DE AGRONOMIA DO BRASIL. Causa EXTREMA estranheza!!!!



Ainda sobre o "Parágrafo 2º:

O atributo requerido para a representação é impreciso: “sendo um com formação na área animal e outro na área vegetal”. Tratar de forma equânime as diferentes vertentes da defesa agropecuária precisa ser resolvido
no plano de metas, independente de quem sejam os representantes ou a que áreas
pertençam.



As representações

"I - Servidores do órgão federal de Defesa Agropecuária;


II - Servidores dos órgãos estaduais da Defesa Agropecuária;


III - Representantes da Confederação Nacional da Agricultura – CNA;


IV - Setor de ensino superior;


V - Setor de pesquisa."


A representação da CNDA abarca todos os setores que deveriam estar representados, excluindo-se os demais já devidamente especificados nos itens I, II IV e V?????

Comentário de Zelia Marilia Barbosa Lima em 22 setembro 2010 às 11:33
Dos Sócios
Acho que seria interessante abrir espaço para sócios estudantes.
Sócios Estudantes
1. Estudantes universitários ou do Ensino Profissionalizante poderão se associar à SBDA pagando metade do valor da anuidade dos sócios efetivos.
2. Os Sócios Estudantes poderão participar das reuniões da SBDA, terão voz ativa, mas não estarão habilitados a votar.
3. Os Sócios Estudantes não poderão ocupar cargos na SBDA, mas poderão atuar em comitês e serem nomeados representantes da SBDA.
Quanto ao Sócio Honorário
"III - Sócio Honorário: pessoas físicas reconhecidas pela SBDA em função da relevância dos serviços prestados para o desenvolvimento da Defesa Agropecuária no Brasil;"
Pergunto: quais são os critérios para o reconhecimento da notoriedade desta categoria de sócio?
Visto que a minuta do estatuto não prevê a criação de qualquer outro instrumento, como um regimento, por exemplo, o que for escrito no estatuto deverá ser preciso...
Encontrei algo do tipo que, porém, ainda considero pouco pois que não descreve o processo completo de reconhecimento.
Sócios Honorários
1. A filiação honorária será concedida a pessoa que, devido à sua substancial contribuição aos objetivos da SBDA, tenha sido aprovada pelo Conselho Executivo para ocupar esta classe de filiação.
2. Os Sócios Honorários não terão obrigação de pagar anuidade, mas estarão habilitados a votar, ocupar cargos e participar das reuniões da SBDA.
Quanto ao Sócio Mantenedor
"IV - Sócio Mantenedor: pessoas físicas ou jurídicas (públicas ou privadas) que contribuam financeiramente para melhor atendimento ao disposto no artigo 3°."
Também neste caso será necessário esclarecer quais serão as formas de participação. Encontrei o seguinte sobre esta categoria de sócio que, creio, poderia servir de diretriz para o esclarecimento pretendido:
1. Os Sócios Mantenedores deverão ser pessoas jurídicas interessadas nos objetivos da SBDA.
2. Os Sócios Mantenedores estarão habilitados a serviços especiais, conforme decido pelo Conselho Executivo da SBDA.
3. Os Sócios Mantenedores estarão habilitados a ter 1 (um) sócio efetivo na SBDA para sua representação sem custo adicional.
3.1. O nome do representante deverá ser informado no momento do preenchimento da filiação.
3.2. O representante terá direito a voto como sócio efetivo.
3.3. Outras pessoas relacionadas à organização do Sócio Mantenedor não serão consideradas membros da SBDA a menos que tenham sua própria filiação.
Comentário de Zelia Marilia Barbosa Lima em 22 setembro 2010 às 11:25
Quanto ao item XIII, do artigo .
"XIII - Estimular a criação de núcleos estaduais referendados pelo Conselho Diretor, para representar a SBDA e para discutir problemas Regionais;"
Penso que núcleos estaduais devessem fazer parte da estrutura da SBDA e não apenas constituírem finalidades, condicionadas a estímulo.
Comentário de Zelia Marilia Barbosa Lima em 22 setembro 2010 às 11:23
Quanto ao item X, do artigo 3º.
"X - Estimular, promover e apoiar a divulgação de conhecimentos, métodos científicos, tecnologias, serviços e produtos de interesse para a Defesa Agropecuária como: livros, teses, dissertações, monografias, boletins, CD-ROM, etc;"
Aqui há uma mistura de categorias de produtos e de mídia (CD-ROM) que parece deslocado. Sugiro que o item seja alterado para: X - Estimular, promover e apoiar a divulgação de conhecimentos, métodos científicos, tecnologias, serviços e produtos de interesse para a Defesa Agropecuária.
Comentário de Zelia Marilia Barbosa Lima em 22 setembro 2010 às 11:16
Acho bastante razoável a sugestão do Fernando Cezar de um congresso abrigando a conferência.
Nos comentários seguintes postarei algumas outras sugestões.
Comentário de Fernando Cezar Juliatti em 18 setembro 2010 às 22:20
Como principal sugestão c oloco para os fundadores da sociedade,bem como aqueles que estão elaborando os estatutos sobre a necessidade de um Congresso que poderia abrigar a Conferência e que poderia ser realizado a cada dois anos. Também sugiro que a criação de uma revista da sociedade(já prevista nos estatutos), seja eletrônica com corpo editorial para que pudessem ser publicados os artigos da defesa agropecuária brasileira.

att.

Dr. Fernando Cezar Juliatti - UFU
Comentário de Regina Sugayama em 13 setembro 2010 às 15:09
Prezados,a pedidos, informamos que as sugestões podem ser enviadas até 23 de setembro. Obrigada pela colaboração.
Comentário de Regina Sugayama em 2 setembro 2010 às 17:02
Cara Zélia, respondi ao Oswaldo que apresentarei o pedido dele ao prof. Evaldo. Acredito que não haverá oposição.
Regina
Comentário de Zelia Marilia Barbosa Lima em 2 setembro 2010 às 16:47
Caros companheiros - para os que estão por aqui até agora - Regina, Dione, José e Joaquim
Acabo de chegar à rede pelo tópico "Estatuto da Sociedade Brasileira de Defesa Agropecuária (SBDA) - MINUTA".
Li o comentário do Oswaldo (CDA, Campinas) solicitando um alargamento do prazo para envio de sugestões. Gostaria de reforçar este pedido. Antecipo que durante uma leitura cuidadosa, embora não seja especialista na matéria, deparei-me com alguns pontos sobre os quais gostaria de poder discutir com mais pessoas. Esse é um momento importante para a defesa agropecuária, creio então que podemos nos permitir um pouco mais de tempo para reflexão.
Comentário de Zelia Marilia Barbosa Lima em 31 agosto 2010 às 10:26
No Art. 3º, inciso I "... também pessoas físicas e pessoas jurídicas que atuem na execução de atividades e nas políticas ..."
sugiro trocar o texto destacado por: " envolvidas na execução de atividades e nas políticas ..."
Comentário de Zelia Marilia Barbosa Lima em 27 agosto 2010 às 21:58
No Art. 2º. " ... promover a integração das entidades e das pessoas executoras da Defesa Agropecuária ...", inverter, " ... promover a integração das pessoas e das entidades executoras da Defesa Agropecuária ...",
Comentário de Joaquim Eustaquio de Souza Amado em 25 agosto 2010 às 22:36
Entendo a sua colocação e nada tenho contra o domínio que utilizamos, a não ser pelo fato de ser informativo só para os brasileiros e portanto, meio limitante para uma sociedade que pretende relacionar-se também com organizações correlatas no mundo.
Mas, sou a favor de que a organização seja ainda mais facilmente identificada. Se houverem outras siglas que possam ser utilizadas sem prejuizos ou até mesmo com ganhos de identificação, melhor ainda.
Mas reafirmo que compreendo sua colocação e concordo com ela, entretanto o fato desta sociedade estar ainda no ínico traz uma certa liberdade para esta troca (ou não?!).
Para sugestões de novas siglas ou para a manutenção da mesma por favor postar em: "Sugestões de sigla para identificar a Sociedade Brasileira de Defes..."
Comentário de Regina Sugayama em 25 agosto 2010 às 20:44
Oi, Joaquim... será que realmente precisamos de nova sigla? Veja 2 exemplos: SINDAG e ABEC... para as 2 siglas há pelo menos duas instituições... e sobre o domínio, nós já temos o www.defesaagropecuaria.org que é mais informativo. Minha sugestão, portanto, é manter SBDA e www.defesaagropecuaria.org
Comentário de Joaquim Eustaquio de Souza Amado em 25 agosto 2010 às 12:04
Peço que as sugestões de sigla para a Sociedade sejam postadas na discussão "Sugestões de sigla para identificar a Sociedade Brasileira de Defes..."
Comentário de Joaquim Eustaquio de Souza Amado em 24 agosto 2010 às 17:47
Eles inclusive já utilizam o url que gostaríamos de ter:
http://www.sbda.org.br/
Comentário de Joaquim Eustaquio de Souza Amado em 24 agosto 2010 às 17:45
Prezados,
Buscando no google descobri que talvez vamos precisar de outra sigla. A SBDA é a ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE
DIREITO AERONÁUTICO E ESPACIAL. Veja o webpage deles aqui
Comentário de Dione Carina Francisco em 22 agosto 2010 às 20:10
olá Regina
onde diz Assembleia Geral para um mandato aproximado de dois anos, acredito que deveria ser "mandato de dois anos",retirar o aproximado.
Onde le-se "I - Servidores do órgão federal de Defesa Agropecuária; II - Servidores dos órgãos estaduais da Defesa Agropecuária; III - Representantes da Confederação Nacional da Agricultura – CNA; IV - Setor de ensino superior; V - Setor de pesquisa", para mim faltou a iniciativa privada.
Comentário de Regina Sugayama em 22 agosto 2010 às 16:19
para constar - esta minuta foi elaborada por Joaquim Amado, José Magid Waquil, Osvaldo Vischi Filho e Regina Sugayama e revisada por Evaldo Vilela e Altino R. Neto. Ela foi apresentada durante a reunião de fundação da SBDA em 16/8/2010 em Brasília e o presidente nomeado, Evaldo Vilela, comprometeu-se a dar ampla visibilidade à minuta para que os sócios possam dar sugestões. Uma comissão será nomeada pelo Conselho Diretor para consolidar as sugestões recebidas e, então, elaborar uma nova versão, que será enviada a um advogado para revisão final. A versão final será enviada para os órgãos competentes para registro da entidade.

Instituições

Apoio

Parceria

Vídeos

  • Adicionar vídeo
  • Exibir todos

© 2017   Criado por Inovadefesa.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço